Os anos 90 não foram bons para ninguém. Há quem diga que tinha Nirvana, Galvão gritando é tetra, Xuxa e tudo mais. Mas no resto, é uma época escura na minha mente. Contudo, lembro vivamente dos desenhos, tanto da TV, quanto das fitas que surgiam vindas de algum lugar na minha casa, e percebo que todos que nasceram perto dos 90 compartilham das mesmas memórias. Então, aí vai a base da minha criação. Qual foi a sua?

 

Tintim Reprodução

1 – As Aventuras de Tintim

Um jornalista, um cachorro, um capitão bêbado, um professor maluco e dois detetives idiotas. Tem como dar errado? Me lembro de chegar da escola lááááá no meio dos 90, ligar a TV na cultura e esperar, todos os dias, pelo desenho. Cara, ele me levou para a Lua, para um iceberg bizarro, para o fundo do mar, atravessei florestas e oceanos e nevascas, além de parar um ladrão na fronteira Sildávia. Sério, como não amar? Tintim me ensinou MUITO sobre o mundo e ativou minha curiosidade por tudo de estranho e sensacional que ele falava.

Miluuuuuuuuu!

 

cervejabem-doug-cultura-nostalgia

2 – Doug

Seguindo o ritual pós escola no mesmo canal, na mesma hora (porque realmente não lembro qual vinha primeiro) eu aprendia sobre paixão silenciosa e amizade com Doug, Paty, Skiter, Roger e todos os outros! Era tipo uma representação da minha vida na época: gostar de uma garota que nem sabe direito o quanto você quer ela, um amigo leal mas não era verde, um cara chato que te enchia o saco e toda uma vida na escola, amizades e aventuras. Porra, quem não lembra do saudoso Sr. Dink e do episódio do peixe? Ou de quando eles encontraram os Beats comendo um hambúrguer? Mais um desenho que ensinava sobre a vida, o universo e tudo mais – só para homenagear o autor de mesmo nome.

Aaaaioooo, mingau matador!

 

wallpaper-pokemon2

3 – Pokémon

Puta que pariu! Alguém lembra do primeiro episódio que assitiu? O meu foi o 17 – A ilha dos pokémons gigantes. Eles ficam perdidos numa ilha meio Jurrasic Park, e os pokémons ficam batendo papo até conseguirem achar os donos de volta. Emocionante! Depois disso me viciei: consumia tudo que podia do desenho, trocava ideia na escola sobre isso, jogava os cards e cheguei a ter um gameboy depois de muita insistência e boa vontade dos meus pais – que não andavam bem das pernas nessa época. Pokémon me ensinou a ser perseverante, pensar grande, ser bondoso e esforçado, além de conhecer o mundo. Quem não lembra o episódio que o Pikachu acha uma família de outros amarelinhos e o Ash se despede dele? Cisco nos olhos até hoje!

Eu escolho você!

 

pica-pau

4 – Pica Pau

Até onde me lembro, foi o primeiro desenho que eu gostei na vida – o que diz um pouco sobre como eu sou hoje. RISOS. Pica Pau tem momentos clássicos que ainda uso hoje em dia, como o “E lá vamos nós” e o episódio das cataratas. Pica Pau era o mais malandro de todos os desenhos que eu gostava e isso me ensinou a como me virar com pessoas que também eram malandras. E olha só: ele também se dava mal! Isso me alertava sobre até onde valia a pena ir com minhas convicções…. Outro momento que eu me lembro que uso hoje é o de uma divisão de comida, se não me engano, que ele dividia assim: Um pra mim. Um pra você. Um, dois pra mim. Dois pra você. Um, dois, três pra mim. Três pra você. No final ele tinha 6 e o Zeca Urubú, 3.

Fígaroooooo, fígarooooo.

 

 

Tom_e_jerry

5 – Tom & Jerry

Que trilha sonora, amigos! Gostava deles por serem fáceis de serem digeridos e pelas milhões de coisas que faziam a cada episódio, só para poderem se sacanear. Lembro da dona deles, dos cachorros e das infinitas armadilhas pregadas. O que eles tem a ensinar? Que trilha sonoro é foda e muda toda a sua visão em uma animação. Que o ódio só gera mais ódio e que, se você se apegar muito a um objetivo, pode ficar cego para o que realmente importa.

Bom dia pra você, bom dia pra você, bom dia gatinhoooo… Bom dia pra você!

 

Vale lembrar que outros tantos desenhos como Cavaleiros do Zodíaco, O Fantástico Mundo de Bobby, Ursinhos Carinhosos, Dragon Ball, Dexter, Animaniacs, Amigaaa Punk, Caverna do Dragão, Coiote e Papaléguas, Meninas Superpoderosas e tantos outros permearam também minha infância.

E qual é a sua lista?