No Man’s Sky

Aqui está a página oficial da Hypebox para um dos games mais aguardados do século: No Man's Sky. Vamos anexar todo conteúdo e informações aqui, além de vídeos e podcasts sobre o tema. Rumo ao infinito e as estrelas!

Nesse episódio falamos sobre No Man's Sky, 24 horas após seu lançamento. Tentamos entender como será o futuro do jogo e da história além de analisar fatos e promessas pré e pós lançamento. Vêm conferir!

Para quem estava numa caverna e não sabe, No Man’s Sky promete ser o jogo do ano. Segundo a própria desenvolvedora o jogo é “A SCIENCE-FICTION GAME SET IN AN INFINITE PROCEDURALLY GENERATED GALAXY“, algo como um “Um jogo de ficção científica baseado numa galaxia infinita gerada proceduralmente”.

Por quê o jogo importa?

 

Desde que uma amiga me mostrou o trailer de No Man’s Sky, há uns 2 / 3 anos, algo mudou. Não digo apenas em mim, que desde pequeno quis ser astronauta. Quero dizer no mundo dos game. Um jogo desse tamanho, com tantas possibilidades, uma direção de arte belíssima, uma ideia simples e, o que promete ser, uma aventura sem fim.

Desde GTA V as bases sólidas do desenvolvimento de jogos não se mexia. Era uma dinâmica parecida aqui, personagens simulando uma vida ali, um sistema de ambiente dinâmico e só. Os jogos não se reinventam a todo tempo, afinal. Mas, NMS promete mudar tudo isso. Com o algorítimo desenvolvido Hello Games, a promessa é que ‘tudo’ tenha vida própria. Desde um pequeno ser de um planeta até as naves que sobrevoam um sistema solar anos luz dali.

A conta assusta: 18,446,744,073,709,551,616 de planetas. Mesmo que um planeta seja descoberto por segundo, levariamos 585 bilhões de anos pra encontrar todos. Cada um com uma característica, uma particularidade. IMAGINA. SÓ.

Pensando nisso, traço um paralelo com a nossa vida hoje: paramos de olhar para o céu. Hoje contemplamos o chão, de cabeças baixas queremos curtidas, dinheiro, status. Não olhamos mais para o céu com a curiosidade inocente e infantil, tentando decifrar porquê o Sol nasce ou porque a Lua está lá, quase todos os dias nos vigiando. Não paramos mais para vislumbrar o todo. Seja criação, seja ciência, seja acaso. Simplesmente paramos. Nossos egos nos impedem de enxergar as coisas além do nosso quadrado. Somos escravos modernos. E, pela primeira vez, acredito que os que se incomodam com isso terão a chance de explorar um jogo que possa trazer toda a imensidão do universo para dentro do nosso dia a dia. Quantas crianças não irão explorar o jogo e se perguntar o que diabos há lá em cima? Quantas não vão querer seguir uma carreira de astronomia, aeronáutica, engenharia, etc, apenas de saber que há muito mais que chão, facebook e dinheiro?

Sonhar é preciso. Explorar é humano.

EXPLORAÇÃO

    COMBATE

COMÉRCIO

Você poderia ter matado os fantasmas gigantes em Super Mario World

Já faz quase 30 anos, mas Super Mario World continua apresentando supresas. Nessa semana foi descoberto uma maneira de matar aquela fantasma…
CONTINUAR LENDO

FRAMEHATE #12 – Séries para a vida

Uhuuuuuserumaninhos! O Framehate é um podcast no formato bate papo que aborda temas culturais do Brasil e do Mundo. Geralmente…
CONTINUAR LENDO

Confira os vencedores do The Game Awards 2016

O 'oscar dos games', o The Game Awards, aconteceu nessa madrugada. Além dos anuncios de jogos, trailers e coisas que estão…
CONTINUAR LENDO