Sempre achou que estava no caminho certo, tomando as atitudes adequadas, e quando errava… Nem sempre consertava, mas reconhecia, e tentava fazer melhor da vez seguinte.
No amor, tentou seguir uma “fórmula” que desenvolveu sozinha a partir do que lera e vira, mas sempre se machucava. Algumas vezes achou ter encontrado companhias bacanas que suprissem o que lhe faltava… Não, se algo lhe faltava, ela mesma preencheria essa falta. Ela queria apenas uma companhia que fosse aconchegante e a fizesse rir; alguém que ela pudesse amar e fazer sorrir, que fossem felizes juntos e compartilhassem de momentos juntos.
Mas não deu certo. Até mesmo quando estava com os curativos ainda visíveis em sua alma, quando viu um sorriso e um olhar que valessem a pena, levantou sua espada mesmo com todas as bandagens presas em seu corpo despencando e suas cicatrizes a mostra. Se ergueu porque acredita que tudo pode melhorar.
Mas fazer o que acreditava ser certo não dá certo. Mesmo dizendo que gostam dela, que é especial sempre vão embora. Porquê? Se o problema fosse com ela… (pensou). E resolveu mudar. Mudar pra algo que pode ou não existir nela, ser dela, mas que, ao menos, sendo errada, é uma fórmula diferente, com resultados diferentes. Quem sabe? Mesmo no caminho errado, o importante é não deixar de lutar!