“A vó já foi descansar…”

nuvem

Foi com uma mensagem assim que minha mãe me acordou, há um ano. Durante esse ano pensei muito em você. Questionei muito o sentido da vida, as minhas escolhas e o que deve acontecer depois que nós formos ‘descansar’. Não tive tempo de falar um tchau e geralmente é assim durante toda a vida: as coisas fluem, pessoas vêm e vão, você se afunda na merda do trabalho e esquece que têm uma vida toda pra viver. Quando ‘vê’, nem vê mais. Na maior parte da minha vida, em todas as vezes que eu realmente queria falar algo significativo para as pessoas, engasguei. Não por falta de vontade, mas para segurar um possível choro que estivesse preso ali. Foi assim quando você foi descansar vó. Não tive palavras para confortar minha família. Não tive palavras para dizer o quanto eu gostava de você e de beijar seu pescoço e te ver sentir cócegas e me dar tapas e atender o telefone da casa dos meus pais sabendo que você ia estar brava atrás do tio que estava jogando baralho com eles. De tomar o chá da tarde nos domingo, que deixei sempre para depois, nos últimos 4 meses antes de você ir descansar. Não tomei aquele chá. Não tomarei ele nunca mais. E quando você fazia aquele arroz com passas no fim do ano? Eu sempre escondia elas debaixo do prato, mas você sabia que eu não gostava, e fingia que não via. Lembra? E quando me deu de aniversário aquela torta que só você sabia fazer e que agora eu nunca mais vou comer?

É vó, a rotina me afastou de você. Não me sinto arrependido. Foi tão rápido e eu juro que queria ter ido lá na porra dos últimos 120 dias que você me chamou para tomar um chá da tarde. Não deu. Não fui. Faz um ano já, não é? A vida passa rápido demais…

Logo serão meus pais, meus tios e todos os outros. E aí eu vou ter um netinho escrevendo sobre o quanto de tempo ele perdeu longe de mim. A vida é tão triste. Queria não ter trabalhado tanto, estudado tanto, ter perdido tempo à toa por aí. A gente acha que a vida é só viver mas esquece de cuidar, de falar o quanto gosta e de olhar no olho.

Você já falou que ama alguém hoje? E se fosse muito tarde para falar?